Conecte conosco

Sem categoria

Urgente: Câmara aprova texto que acaba com os supersalários

Substitutivo do deputado Rubens Bueno limita pagamentos acima do teto constitucional, que atualmente é de R$ 39,2 mil

Publicado

em

Urgente: Câmara aprova texto que acaba com os supersalários

A Câmara aprovou hoje, por unanimidade, substitutivo ao projeto de lei que acaba com os supersalários no funcionalismo público. O texto apresentado hoje pelo deputado Rubens Bueno (Cidadania-PR) limita pagamentos ao teto constitucional, que atualmente é de R$ 39,2 mil.

Não serão incluídos no cálculo salarial para comparação com o teto benefícios como auxílio-moradia, auxílio-fardamento e auxílio-invalidez.

Agora, o texto será novamente analisado pelo Senado.

Entenda o que muda

Se aprovado pelo Senado, passarão a ser considerados além do teto constitucional todos os valores adicionais pagos aos servidores dos três poderes das esferas federal, estadual e municipal.

O texto apresenta uma lista de benefícios que não deverão ser incluídos nesse calculo, mas cria regras para o recebimento desses valores sem que haja qualquer descumprimento legal.

Por exemplo, no caso do auxílio-moradia, o pagamento só poderá ser feito se não houver “imóvel funcional em condições de uso na localidade” em que o servidor atua, quando o funcionário público não puder “residir com outra pessoa que ocupe imóvel funcional ou receba parcela de idêntica finalidade” ou nas situações em que o beneficiário não tiver “residido ou sido domiciliado na localidade onde exercer o cargo, função ou emprego por mais de sessenta dias nos doze meses anteriores ao início do exercício no novo local”.

Em outro caso, como a cumulatividade de funções por juízes e membros do Ministério Público, o adicional só poderá ser pago mediante “comprovação do incremento da produtividade individual do magistrado ou do membro do Ministério Público”.

Antagonista

P U B L I C I D A D E

Saúde

COVID-19 NAS OLIMPÍADAS CHEGA A 110 INFECTADOS

Publicado

em

COVID-19 NAS OLIMPÍADAS DE TÓQUI

Foram confirmados nesta sexta-feira (23), data oficial da abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, mais 19 casos de Covid-19, de acordo com  balanço diário divulgado pelo Comitê Organizador em Tóquio. Com a atualização desta sexta-feira, agora são 110 pessoas com testes positivos desde o início de julho. Nessa nova listagem, há mais três atletas contaminados, chegando a 13.

Algumas equipes já estão desfalcadas como o time mexicano de beisebol, que sofreu com baixas ainda antes de chegar ao Japão.  Na última terça-feira (20), o comitê do país havia anunciado que todo o elenco estava cumprindo uma quarentena após a presença de duas pessoas com testagens positivas. A delegação ainda aguarda novos resultados de exames para nomear os substitutos.

Ainda figuram na lista de atletas fora das Olimpíadas por causa da Covid,  o jogador norte-americano do vôlei de praia Taylor Crabb. 

De acordo com levantamento feito pela CNN, até horas antes da abertura dos jogos, às 8h45 da manhã desta sexta-feira (24), 22 atletas estavam desfalcando as delegações por conta de Covid-19 e protocolos de saúde. Esse número é maior que o recorte oficial do COI porque considera casos anteriores ao embarque dos esportistas.

Brasil 247

Continuar Lendo

ELEIÇÕES

VÍDEO: MARCELINHO GUIMARÃES VISITA SIMÕES FILHO E É RECEBIDO POR CORRELIGIONÁRIOS

Publicado

em

Marcelinho Guimarães, inclui Simões Filho, no seu projeto político e é recebido por correligionários

Marcelo Guimarães Filho, mais conhecido como Marcelinho Guimarães, afirmou reconhecer a importância da cidade de Simões Filho, dentro do contexto político, e passará a vir mais vezes á cidade com o apoio dos amigos Alfredão, Ferdnand Andrade, Valter e Gustavo Ferraz..

“Simões Filho é parte importante do nosso projeto político. Temos informação do sentimento de frustração, do eleitor de Simões Filho, historicamente, são lembrados somente no período do pleito eleitoral, os candidatos não realizam suas promessas. Nós queremos quebrar esse paradigma. Por isso, tenho o apoio de Alfredão, Ferdinand, Valter, além da importante participação de Gustavo Ferraz, todos estamos iniciando essa relação de proximidade, para elaborarmos ações que contemplem a cidade. Se eleito Deputado Federal, estarei defendendo as demandas e anseio do povo trabalhado desta cidade”. Disse Marcelinho Guimarães, ao Redação Nacional.

TRAJETÓRIA POLÍTICA

Marcelinho Guimarães, deu o pontapé inicial em sua carreira política, nas eleições do ano 2000, quando foi eleito para ocupar uma cadeira na Câmara Municipal de Salvador. Em 2002, foi eleito para o seu primeiro mandato no Congresso Nacional, eleito Deputado Federal, com 58.389 votos. Reeleito nas eleições de 2006, com 93.253 votos.

Em parceria com o Redação Nacional

Continuar Lendo

BRASIL

“Urgente. O Bolsonaro está pedindo. Agora”

Publicado

em

Urgente. O Bolsonaro está pedindo. Agora

As mensagens capturadas no telefone celular do atravessador bolsonarista Luiz Paulo Dominguetti, que vieram à tona, jogam a negociata pelas vacinas diretamente no colo do presidente da República.

Depois que o reverendo Amilton Gomes de Paula ofereceu um lote de 400 milhões de doses de AstraZeneca ao Ministério da Saúde, “o presidente chamou ele lá”.

Jair Bolsonaro, em 2020, sabotou todas as vacinas, porque temia o ganho eleitoral de João Doria. As coisas só mudaram no primeiro trimestre de 2021, quando ele entendeu que a aposta na cloroquina e na imunidade de rebanho, com seus 500 mil mortos, acabaria resultando em derrota nas urnas. Desesperado, ele entregou o butim do Ministério da Saúde à pirataria e passou a negociar as vacinas pessoalmente com os pilantras.

A CPI da Covid precisa interrogar novamente Luiz Paulo Dominguetti. Como provou a reportagem de Wilson Lima, ele disse que seu bando tinha acesso ao próprio sociopata, sem intermediários.

Isso só se resolve com impeachment. E cadeia.

Con informações do Antagonista

Continuar Lendo

Sem categoria

“UM TAL DE” QUEIROGA ABANDONA ENTREVISTA AO SER PERGUNTADO SOBRE COVAXIN

Foi perguntado a ele se governo pretende comprar vacina mesmo com preço elevado

Publicado

em

UM TAL QUEIROGA ABANDONA ENTREVISTA QUANDO PERGTUNTADO SOBRE A COVAXIM

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, encerrou entrevista no Palácio do Planalto nesta 4ª feira (23.jun.2021) depois de ser perguntado sobre a intenção do governo de comprar a vacina Covaxin, fabricada pela Bharat Biotech.

O governo federal foi informado em agosto de 2020 que a fabricante estimava preço de 100 rúpias por dose (cerca de US$ 1,34). A informação consta em documento obtido pelo O Estado de São Paulo. Em fevereiro de 2021, o Ministério da Saúde comprou 20 milhões de unidades da vacina por US$ 15 a dose –preço 1.019% superior.

A informação foi divulgada na 3ª feira (22.jun). Em reais, a Bharat cobraria por volta de R$ 7,31  a dose, pela média da cotação de agosto (quando o valor foi divulgado). O governo federal pagou R$ 80,70 (cotação de fevereiro, quando o contrato foi assinado).

A mídia local indica que o governo indiano pagou entre 206 e 295 rúpias por dose. Pela cotação de março, isso equivale a faixa de R$ 15,70 a R$ 23,15. O Ministério da Saúde pagou pelo menos 249,6% mais caro que a Índia, considerando esses valores.

Nesta 4ª feira, Queiroga afirmou a jornalistas que o Ministério da Saúde “não comprou sequer uma dose da vacina Covaxin”. Irritou-se quando um jornalista insistiu sobre o tema.

“Todas as vacinas que têm registro definitivo da Anvisa o ministério considera para aquisições. Então esperamos esse tipo de posicionamento para tomar uma posição acerca não só dessa vacina, mas de qualquer outra vacina que obtenha registro emergencial ou definitivo, porque já temos hoje número de doses de vacinas contratadas acima de 630 milhões, e o governo federal tem feito a campanha acelerar. Em setembro, teremos todos os brasileiros acima de 18 anos vacinados com a 1ª dose e, até o final do ano, a população brasileira”, disse o ministro depois de evento de abertura do Fórum sobre Proteção Integrada de Fronteiras e Divisas, no Palácio.

O repórter perguntou se o governo compraria a vacina com o preço acima da média. Queiroga respondeu:

“Eu falei em que idioma? Falei em português. Então, não foi comprada uma dose sequer da vacina Covaxin nem da Sputnik. Futuro é futuro”.

Logo depois, o ministro deixou a entrevista.

Continuar Lendo

ESPORTE

CORONEL NUNES ASSUME CBF. SAIBA QUEM É, AQUI

Publicado

em

O CORONEL

O presidente da CBF, Rogério Caboclo, foi afastado do cargo neste domingo (6) por 30 dias, após vir à tona denúncia de assédio sexual e moral comtra ele, feita por uma funcionária da entidade. A decisão foi do Conselho de Ética da entidade e pode ser prorrogada por mais 30 dias, até que ele se defenda da acusação.

Durante este período, quem assume o comando da entidade é Antônio Carlos Nunes, mais conhecido como Coronel Nunes. Aos 83 anos, Coronel Nunes é aposentado pela PM do Pará e já havia assumido a presidência da CBF outras duas vezes, substituindo Marco Polo Del Nero, que deixou a entidade acusado de corrupção.

Segundo reportagem do Correio Braziliense de 2017, apesar de ter sido comandante militar e prefeito biônico em Monte Alegre (PA) no período da ditadura, o Coronel Nunes recebe até um saldo mensal de R$ 14,7 mil como perseguido pelo regime e futuramente anistiado, segundo reportagem de Lúcio de Castro em 2016. Além das prestações mensais, ele ganhou uma indenização retroativa de R$ 243.416,25 em 2003.

Continuar Lendo

Saúde

Baiana que não se vacinou contra a covid tem bebê com anticorpos contra o vírus

Publicado

em

naceu imune

Uma semana depois de registrar o primeiro recém-nascido com anticorpos contra a covid-19, mais uma criança baiana vem ao mundo imune ao coronavírus, desta vez em Vitória da Conquista, no sudoeste do estado, e com uma diferença: a mãe não foi imunizada, mas teve a doença dois meses antes de engravidar. Pietro Kevin Brito nasceu no dia 24 de maio com poucas chances de ser afetado pela transmissão do coronavírus por receber a imunidade através da transferência placentária durante a gestação.

Sua mãe, Glece Quelle Brito, 25 anos, é auxiliar de farmácia de UTI em um hospital e pegou covid-19 dois meses antes de engravidar. Sem sintomas mais graves, ela se curou através da produção de anticorpos e parece estar com eles até agora, o que possibilitou que Pietro viesse ao mundo imune, como ela explica. “No fim da gestação, eu fiz esse exame de anticorpos total e vi que tava com imunidade ainda, o que dava indício de que passaria o anticorpo para ele. Depois, fizemos nele e também deu positivo para o IgG contra a covid”, relata. 

Anticorpo persistente
Para quem pode estranhar a presença tardia do IgG no organismo de Glece e a sua transferência para Pietro, o caso é sim possível. É o que garante Matheus Todt, infectologista da S.O.S Vida. Ele afirmou que o comum é que a imunidade permaneça por menos tempo, mas que isso não impossibilita situações em que o anticorpo seja produzido e permaneça por até 12 meses. 

“O IgG é a linhagem de anticorpo mais tardia e que, no caso da covid-19, pode durar até um ano no organismo. Caso a mãe tenha tido contato com o vírus e desenvolvido esse anticorpo, o IgG pode passar pela barreira da placenta e chegar na criança porque, nesse caso, está dentro do tempo que se imagina que ele pode permanecer lá. Então, é possível sim”, diz Todt, que alerta que ainda sim é difícil saber o quanto isso representa de proteção para a criança.

Ao CORREIO, Glece contou que a dúvida sobre a força do anticorpo no organismo do pequeno Pietro não foi capaz de diminuir a euforia de saber que seu bebê nasceu com imunidade contra a covid-19. 

“Nossa, quando eu peguei o resultado, eu chorei de alegria. Chorei mesmo, não tava acreditando. Liguei pra minha família pra contar. Foi uma emoção muito grande, um presente de Deus. Depois de tudo que a gente passou, veio essa bênção grandiosa”, declara ela.

Antes de Pietro, ela deu à luz a Henzo, que nasceu com problemas cardíacos e acabou não resistindo. A perda do primogênito, no entanto, deu para Glece mais empatia para seguir trabalhando na linha de frente contra o coronavírus até o oitavo mês de gestação, quando deixou o trabalho por orientações médicas. Segundo ela, o medo sempre existiu, mas a vontade de ajudar em um momento que os profissionais de saúde são tão necessários foi superior.

“Pra mim, foi o amor ao próximo que me sustentou. Ano passado eu perdi meu bebê e, depois disso, acabei tendo mais compaixão e amor à vida, seja ela a minha ou do próximo. Então, mesmo com medo de acontecer tudo de novo, a gente não quer deixar de ajudar os outros, ainda mais em uma pandemia que tá maltratando tanto”, afirma Glece.

Pietro nasceu saudável e com carga de imunidade (Foto: Reprodução/Acervo Pessoal)

Proteção mais curta 
Assim como para os bebês que ficaram imunes por conta da imunização de suas mamães, o tempo em que Pietro terá os anticorpos presentes no seu organismo é incerto. Porém, segundo Todt, é provável que esse período de imunização seja menor do que dos filhos de vacinadas. 

“No caso da covid-19, a imunidade vacinal, que é a que chamamos de imunidade ativa artificial, é maior e mais duradoura do que a conferida pela contaminação e produção de anticorpos que classificamos como imunização ativa natural. No entanto, isso é especulação porque, por ser um situação nova, não há testes para comprovar isso. Mas o que se acredita hoje é que a vacina dê uma imunização mais potente”, explica.

Procurada para saber se tinha ciência do caso de Pietro, a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) afirmou que não acompanha o caso em específico e disse que não tem o dado oficial de quantos recém-nascidos já foram registrados com anticorpos contra o vírus.

Correio 24h

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA