Condenação

Justiça do trabalho condena Gustavo Gayer a pagar R$ 100 mil

Justiça condena Gustavo Gayer por coagir trabalhadores a votarem em Bolsonaro, determinando pagamento de R$ 100 mil.

10/07/2024 21h37
Por: Redação
Fonte: Tudo é Política
Gustavo Gayer em evento político
Gustavo Gayer em evento político

A Justiça do Trabalho condenou o deputado federal Gustavo Gayer (PL-GO) ao pagamento de R$ 100 mil por aliciamento de trabalhadores para votar em Jair Bolsonaro (PL) nas eleições presidenciais de 2022. O Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT-18) determinou a condenação do parlamentar em dezembro do ano passado. Segundo o Judiciário, Gayer visitou empresas em Goiânia (GO) durante o segundo turno das eleições e tentou persuadir os trabalhadores a votarem no ex-presidente.

Condenação por aliciamento eleitoral

A decisão do TRT-18 é resultado de investigações que apontaram que Gayer, conhecido por seu apoio ao bolsonarismo, teria visitado diversas empresas na capital goiana, com a intenção de influenciar os votos dos trabalhadores. De acordo com a sentença, o parlamentar teria usado sua posição de autoridade para coagir os funcionários a optarem pelo candidato Jair Bolsonaro. O valor de R$ 100 mil deverá ser pago como forma de reparação pelos danos causados pelo aliciamento eleitoral.

Defesa de Gayer nega as acusações

A defesa de Gustavo Gayer, no entanto, contestou as acusações, afirmando que o deputado não realizou visitas com a intenção de assediar ou coagir os trabalhadores. Segundo os advogados do parlamentar, as visitas às empresas tinham o propósito de "debater a atual conjuntura política do país" e não de influenciar os votos dos empregados. A equipe jurídica de Gayer ainda estuda recorrer da decisão.

Implicações da condenação

A condenação de Gustavo Gayer pelo TRT-18 levanta questões importantes sobre o uso de poder político e a ética nas campanhas eleitorais. O caso ressalta a importância de garantir que as eleições sejam conduzidas de maneira justa e sem pressões indevidas sobre os eleitores. Esta decisão pode servir como um precedente para futuras ações judiciais contra práticas semelhantes, reforçando a necessidade de transparência e integridade no processo eleitoral.

Reações à sentença

A decisão gerou diversas reações no cenário político. Aliados de Gayer criticaram a sentença, argumentando que se trata de uma tentativa de censurar e limitar a liberdade de expressão política. Por outro lado, opositores e defensores da justiça eleitoral celebraram a decisão, considerando-a uma vitória para a democracia e para a proteção dos direitos dos trabalhadores.

Próximos passos

Com a condenação, o deputado Gustavo Gayer enfrenta um desafio significativo em sua carreira política. Além do impacto financeiro, a decisão pode afetar sua reputação e influenciar seu futuro político. A defesa do parlamentar indicou que está analisando as possibilidades de recurso, o que significa que o caso ainda pode se prolongar nos tribunais. Entretanto, a sentença do TRT-18 já estabelece um marco importante na luta contra o aliciamento eleitoral e a proteção dos direitos dos trabalhadores.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Simões Filho, BA
Atualizado às 15h05
27°
Parcialmente nublado Máxima: 26° - Mínima: 21°
28°

Sensação

6.17 km/h

Vento

61%

Umidade

Municípios
Últimas notícias
Mais lidas