Conecte conosco

ECONOMIA

IBGE: safra baiana este ano deve ser 3,5% maior que a de 2019

Estimativa de janeiro para o estado é de uma produção de 8,5 milhões toneladas de grãos em 2020, frente a 8,2 milhões em 2019

Publicado

em

Bahia.ba – A primeira estimativa para a safra baiana de cereais, leguminosas e oleaginosas (também conhecidos como grãos) em 2020 prevê, em janeiro, uma produção de 8.569.934 toneladas neste ano. Isso representa um aumento de 3,5% (ou mais 286.274 toneladas) em relação à safra de 2019 (8.283.660 toneladas).

Segundo as informações obtidas até o momento, esse incremento na produção deverá ser puxado pelo milho 1ª safra (de 1,37 milhão para 1,53 milhão de toneladas, o que representa mais 159,6 mil toneladas, ou uma colheita 11,7% maior que a de 2019); pelo milho 2ª safra (de 276 mil para 358,8 mil toneladas, o que representa mais 82,8 mil toneladas, ou +30,0%); e pelo feijão 2ª safra (de 117,6 mil toneladas para 184,2 mil toneladas, mais 66,6 mil toneladas, ou +56,6% em 2020).

A área a ser colhida com grãos na Bahia, em 2020, está estimada em 3.152.265 hectares (ha) e deverá ser um pouco maior (+0,7%) que a de 2019 (3.130.065 ha). Além disso, a previsão é de aumento da produtividade em 5 dos 11 produtos desse grupo investigados no estado, com destaque positivo para o feijão 2ª safra, cujo rendimento deve subir 63,9%, passando de 535 kg/ha em 2019 para 877 kg/ha em 2020.

Por outro lado, dentre os grãos baianos, a soja tem o principal destaque negativo nessa primeira estimativa da safra 2020. Com a maior produção do grupo, a oleaginosa tem, em janeiro, uma previsão de leve queda na produção, que deverá ficar em 5,3 milhões de toneladas neste ano, 0,2% menor que a de 2019 (5,309 milhões de toneladas).

A razão é a estimativa de uma queda no rendimento médio da cultura, de 3.360 kg/ha para 3.313 kg/ha (-1,4%). Além da soja, entre os grãos, o trigo (de 30 mil para 14,4 mil toneladas, ou -52,0%) e o feijão 1ª safra (de 172,8 mil para 137,3 mil toneladas, ou -20,6%) também têm previsões de safras menores em 2020. Para o Brasil como um todo, a estimativa de janeiro para a safra de grãos 2020 é de 246,7 milhões de toneladas, 2,2% maior que a de 2019 (mais 5,3 milhões de toneladas), com uma área a ser colhida de 64,3 milhões de hectares, 1,7% maior (mais 1,1 milhão de ha).

As informações são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado mensalmente pelo IBGE. O grupo de cereais, leguminosas e oleaginosas (grãos) engloba os seguintes produtos: arroz, milho, aveia, centeio, cevada, sorgo, trigo, triticale, amendoim, feijão, caroço de algodão, mamona, soja e girassol.

A partir das informações desta primeira estimativa, a Bahia deve se manter, neste ano, com a oitava maior produção de grãos do país, respondendo por 3,5% do total nacional. Mato Grosso deverá continuar na liderança, respondendo por 27,1% do total, seguido, mais uma vez, por Paraná (15,8%) e Rio Grande do Sul (14,2%).

Das 25 safras de produtos investigadas pelo LSPA na Bahia, 9 deverão ser maiores em 2020 do que em 2019, segundo a primeira estimativa do ano. As produções com previsão de maior crescimento, em termos absolutos, no estado são justamente as de milho 1ª safra (+159,6 mil toneladas), milho 2ª safra (+82,8 mil toneladas) e feijão 2ª safra (+66,6 mil toneladas).

Por outro lado, cana-de-açúcar (-164 mil toneladas), banana (-134,3 mil toneladas) e feijão 1ª safra (-35,5 mil toneladas) lideram, nesta primeira estimativa, as quedas absolutas de produção.

ECONOMIA

Dólar renova recorde e fecha a R$ 4,36

Dólar turismo fechou a R$ 4,54

Publicado

em

Metro1 – O dólar fechou em alta hoje (19), renovando máxima de fechamento, um dia após o presidente do Banco Central dizer que está tranquilo em relação ao câmbio e com os investidores atentos ao noticiário do coronavírus.

A moeda norte-americana subiu 0,19%, a R$ 4,3650. O dólar turismo fechou a R$ 4,54.

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, disse que o Banco Central está tranquilo sobre o câmbio e que o regime cambial é flutuante, mas que pode fazer intervenções em caso de problemas de liquidez ou se for identificado movimento “exagerado” no mercado cambial.

Continuar Lendo

ECONOMIA

Receita anuncia regras da declaração do IR 2020

Contribuinte poderá baixar o programa gerador da declaração a partir de quinta-feira

Publicado

em

Metro1 – A Receita Federal divulgou hoje (19) as regras para declaração do Imposto de Renda de 2020. A apresentação da declaração do IR 2020, ano-base 2019, começa no dia 2 de março, a partir de 8h, e se estende até o dia 30 de abril. O contribuinte poderá baixar o programa gerador da declaração a partir de amanhã (20).

Entre as mudanças está a medida de que a partir de agora, as restituições serão pagas em cinco lotes, e não mais em sete. Além disso será obrigatório ao contribuinte que recebeu mais de R$ 200 mil em 2019 informar o número do recibo da declaração do ano anterior, antes essa informação não era obrigatória.

Outra novidade deste ano é o fim da dedução de empregado doméstico, antes era possível abater os gastos dos patrões com a previdência. A mudança aumentará a arrecadação do governo em cerca de R$ 700 milhões.

Continuar Lendo

ECONOMIA

Dólar fecha em alta com incertezas sobre protesto de caminhoneiros

Dólar turismo fecha a R$ 4,50

Publicado

em

Metro1 – O dólar começou a semana em alta ante o real, devolvendo quase toda a queda da sessão anterior e retomando nível perto de 4,33 reais, em dia sem a referência dos mercados norte-americanos, sem injeção de liquidez pelo Banco Central, mas com receios em torno de uma possível manifestação de caminhoneiros em Santos (SP).

O dólar à vista fechou em alta 0,66%, a 4,3295 reais na venda. O dólar turismo fecha a 4,50 reais.

De acordo com um levantamento da Tendências Consultoria, o real é moeda que mais perdeu valor em relação ao dólar no acumulado de 2020, dentre as 31 principais divisas globais.

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA