Conecte conosco

BRASIL

Entenda os elos de miliciano morto com a família Bolsonaro

Ex-PM foi alvo de operação que envolveu as polícias do Rio e da Bahia e teria morrido depois de entrar em confronto com os policiais

Publicado

em

Metro1 – Morto no município de Esplanada (BA) ontem (9), o ex-capitão da Polícia Militar Adriano da Nóbrega é acusado de comandar a mais antiga milícia do Rio de Janeiro e tinha um histórico de ligações com o senador e filho do presidente da República Flávio Bolsonaro. Ele foi alvo de operação que envolveu as polícias do Rio e da Bahia e teria morrido depois de entrar em confronto com os policiais. 

Adriano é um ex-capitão do Bope, elite da Pm carioca. Ele é suspeito de integrar um grupo de assassinos profissionais do estado. Já foi preso e solto três vezes, por um assassinato e uma tentativa de assassinato. Foi expulso da PM em 2014 por ter ligação com bicheiros. 

Confira algumas pergunta e respostas sobre ele, de acordo com reportagem da Folha:

1. Qual a relação de Adriano com Flávio Bolsonaro?

O ex-PM foi citado na investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) que investiga se houve “rachadinha”, nome dado ao esquema de devolução de salários, no gabinete do filho do presidente, quando ele tinha mandato na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A promotoria aponta que as contas de Adriano foram usadas para transferir dinheiro ao assessor Fabrício Queiroz, suspeito de comandar o esquema. 

Queiroz e Adriano já haviam trabalhado juntos no 18º Batalhão da PM. Familiares de Adriano foram contratados como assessores no gabinete de Flávio: a mulher do ex-capitão, Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega, de 2007 até 2018, e a mãe dele, Raimunda Veras Magalhães, de 2016 a 2018. 

2. Há mais relações entre a família Bolsonaro e Adriano?

Em 2005, enquanto estava preso preventivamente pela morte de um guardador de carros, Adriano foi condecorado por Flávio com a Medalha Tiradentes, honraria da Alerj. Dois anos antes, o então deputado estadual apresentou uma “moção de louvor” em favor de Adriano. 

Adriano também foi defendido pelo hoje presidente Jair Bolsonaro quando ele era deputado federal, em discurso na Câmara dos Deputados, também em 2005, por conta da condenação por homicídio. O ex-capitão acabou sendo absolvido do crime em novo julgamento.

3. Há ligação de Adriano com o caso Marielle?

Foram acusados pelo Ministério Público do Rio, pela morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, o policial reformado Ronnie Lessa, que é suspeito de ser o autor dos disparos, e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz, suspeito de dirigir o carro.

A polícia apura se há relação de Lessa com uma quadrilha de assassinos da qual Adriano é suspeito de ser integrante.

BRASIL

Justiça Eleitoral prorroga prazo para regularizar título de eleitor

Interessados devem procurar atendimento entre os dias 27 de fevereiro e 6 de maio

Publicado

em

Metro1 – A Justiça Eleitoral prorrogou o prazo de regularização do título de eleitor e quem não atualizou sua situação deve procurar atendimento entre os dias 27 de fevereiro e 6 de maio.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA), os eleitores que não comparecerem aos cartórios eleitorais dos 242 municípios selecionados serão impedidos de participar das eleições municipais deste ano. 

Caso o título tenha sido cancelado, o eleitor deve ir ao cartório eleitoral ou posto de atendimento do município, apresentar um documento oficial com foto, comprovante de residência emitido há no máximo três meses e pagar as multas devidas.

Continuar Lendo

BRASIL

Justiça determina extinção de torcidas organizadas de Sport, Santa Cruz e Náutico

O TJ-PE informou que foram julgadas ações que pediam o encerramento das atividades da Jovem, Inferno Coral e Fanáutico, “por episódios constantes de violência, vandalismo e brigas”

Publicado

em

Metro1 – O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJ-PE) acatou o pedido do governo estadual e determinou a extinção compulsória de três torcidas organizadas de Sport, Santa Cruz e Náutico, em decisão divulgada hoje (18).

O TJ-PE informou que foram julgadas ações que pediam o encerramento das atividades da Jovem, Inferno Coral e Fanáutico, “por episódios constantes de violência, vandalismo e brigas”.

A solicitação de julgamento “imediato e simultâneo” das ações, que tramitavam no Judiciário, foi feita pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE), no dia 14 de fevereiro. O pedido, que chegou à 5ª Vara da fazenda pública da Comarca do Recife, teve como objetivo agilizar a análise de uma ação ordinária, de 2014, e de uma ação civil pública, de 2012.

De acordo com o TJ-PE, além de determinar o fim das torcidas, a sentença do juiz Augusto Sampaio Angelim ordenou a extinção dos CNPJ’s das organizações. Ainda é possível recorrer ao segundo grau do Judiciário em Pernambuco.

Continuar Lendo

BRASIL

Enem 2019 gerou 507 processos judiciais contra a União

AGU afirmou não ter “informação do mérito principal das demandas, mas apenas o assunto cadastrado”

Publicado

em

Metro1 – A Advocacia-Geral da União (AGU) recebeu 507 processos judiciais relativos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2019, vindos de todos os estados e do Distrito Federal. A AGU afirmou não ter “informação do mérito principal das demandas, mas apenas o assunto cadastrado”.

Os dados foram obtidos via Lei de Acesso à Informação, a partir de pedido da agência de dados Fiquem Sabendo e divulgados pelo jornal O Globo.

A maioria das ações teve origem no Distrito Federal (227), seguido por Minas Gerais (48), São Paulo (44), Rio de Janeiro (32) e Pernambuco (26). Em todos os estados do país houve ao menos um processo judicial relativo ao Enem.

A edição de 2019 teve falhas em sua correção que foram reveladas apenas em janeiro deste ano, quando as notas foram divulgadas. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame, os erros prejudicaram quase 6 mil candidatos, de um total de 3,9 milhões que fizeram as provas.

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA