Conecte conosco

ECONOMIA

Dólar vai a R$ 4,18 e fecha em alta nesta quarta-feira

A moeda norte-americana subiu 1,32%, a R$ 4,1843

Publicado

em

Bahia.ba – O dólar fechou em alta nesta quarta-feira (15), diante de novos sinais de fraqueza na economia que podem prejudicar expectativas de fluxo cambial ao país.

Segundo o portal G1, a moeda norte-americana subiu 1,32%, a R$ 4,1843. Na cotação mais alta do dia, chegou a R$ 4,1848. Veja mais cotações.

Na parcial do mês, o dólar tem valorização de 4,35% sobre o real

ECONOMIA

Vendas no comércio varejista baiano cresceram 3,4 % em novembro

Setor de móveis lidera o ranking de vendas, com crescimento de 26% em relação ao mesmo período em 2018

Publicado

em

Bahia.ba – As vendas no comércio varejista baiano cresceram 3,4% em novembro de 2019, na comparação com o mesmo mês em 2018. A taxa supera a média nacional, que registrou expansão no volume de negócios de 2,9% em relação à mesma base de comparação, e acumula, de janeiro a novembro, avanço de 1,5% frente a igual período de 2018.

Na análise sazonal, o comércio varejista no estado baiano foi positivo em 4,0%, melhor taxa nessa comparação desde novembro de 2018 (6,7%).

“Importante ressaltar que este resultado é reflexo da melhoria no mercado de trabalho baiano. De acordo com os dados do IBGE, a Bahia gerou 3.958 novos empregos com carteira assinada em novembro. No acumulado do ano, até novembro, foram gerados 41.964 novos postos de trabalho, colocando a Bahia líder na geração de empregos no Nordeste, e na 5ª posição no cenário nacional”, afirma o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.

O resultado registrado para o varejo baiano nesse mês também se justifica pela proximidade das festas de fim de ano, período em que alguns consumidores com a antecipação do décimo terceiro se preparam para as comemorações do Natal, ao aumento das vendas online, devido às promoções como a Black Friday, que acontece nos meses de novembro, e pela influência do efeito positivo da liberação do FGTS e PIS/PASEP.

Por atividade, os dados do comércio varejista do estado baiano, em novembro de 2019, quando comparados aos de novembro de 2018, revelam que cinco dos oito segmentos que compõem o indicador do volume de vendas registraram comportamento positivo.

Listados pelo grau de magnitude das taxas em ordem decrescente, destacaram-se Móveis e eletrodomésticos (26,0%), Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (21,0%), Combustíveis e lubrificantes (6,9%), Tecidos, vestuário e calçados (5,2%), e Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,5%). Nos demais segmentos, as variações foram negativas: Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-0,8%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-10,7%), e Livros, jornais, revistas e papelaria (-21,6%).

O comércio varejista ampliado, que inclui o varejo e mais as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção, apresentou crescimento nas vendas de 4,1%, em relação à igual mês do ano anterior. No acumulado dos últimos 12 meses, a variação ficou em 0,9%. O segmento Veículos, motos, partes e peças teve crescimento de 3,7% nas vendas em novembro de 2019, em relação à igual mês do ano anterior. Em relação ao segmento Material de construção, as vendas no mês de novembro foram positivas em 11,4%, na comparação com o mesmo mês de 2018.

Os dados foram apurados pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – realizada em âmbito nacional – e analisados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan).

Continuar Lendo

ECONOMIA

BNDES firma parceria com agência dinamarquesa de apoio à exportação

Termo foi assinado nesta quarta-feira (15), no Rio de Janeiro, e tem vigência de dois anos, podendo ser renovado por igual período

Publicado

em

Bahia.ba – O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, assinou nesta quarta-feira (15), no Rio de Janeiro, memorando de entendimento com o vice-presidente da Agência de Crédito à Exportação da Dinamarca (EKF), Jan Vassard, com o objetivo de promover a cooperação entre as duas instituições. O acordo tem vigência de dois anos e poderá ser renovado por igual período.

A EKF é controlada pelo governo dinamarquês. A agência tem como principais clientes pequenas e médias empresas, embora esteja ampliando sua participação em projetos de infraestrutura em outros países, em especial no segmento de energia eólica. A EKF apoia as exportações e a internacionalização de empresas dinamarquesas, mediante a concessão de crédito e garantias, de modo a viabilizar a atividade exportadora e cobrir riscos políticos e comerciais, de acordo com informação do BNDES.

Em 2018, a EKF ajudou a Dinamarca a gerar mais de US$ 5 bilhões em receita, respondendo pela criação e manutenção de 14,6 mil empregos. A parceria firmada nesta quarta-feira pretende estreitar as relações econômicas, financeiras, industriais e comerciais entre Brasil e Dinamarca.

Colaboração – O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, destacou que é fundamental para o Brasil hoje dispor de diferentes parceiros internacionais. “Colaboração é a palavra-chave”, disse Montezano. Segundo ele, um dos ativos que o banco pretende compartilhar com a EKF é o conhecimento acumulado pela instituição de fomento brasileira em 67 anos de existência. Ele salientou que o sucesso do BNDES “não será mais medido pelo desembolso, mas pela quantidade de negócios atraídos para o Brasil”.

O compromisso assumido nesta quarta-feira sinaliza uma nova oportunidade de negócios bilaterais, uma vez que BNDES e EKF já realizaram operações de cofinanciamento, como o apoio à Margem Companhia de Mineração. A cooperação possibilita a inserção no mercado nacional de empresas com atuação na Dinamarca, principalmente no setor de energia eólica. Um exemplo são as companhias Vestas e Siemens Gamesa, que têm fábricas de aerogeradores instaladas no Brasil.

A parceria prevê ainda possibilidades de exportação de empresas brasileiras para a Dinamarca e a construção de novas estruturas financeiras, que viabilizem a realização de investimentos de interesse dos dois países. Montezano acrescentou que o banco poderá aprimorar seus conhecimentos sobre novos mecanismos para apoio às exportações, o que julga importante no atual momento em que o BNDES foi chamado a contribuir com a reestruturação do sistema de apoio oficial às exportações no Brasil.

Na avaliação do vice-presidente do EKF, o acordo firmado hoje será benéfico para os dois países.

Continuar Lendo

ECONOMIA

Governo aumenta projeção de crescimento do PIB para 2,40% em 2020

Indicadores de atividade têm apresentado resultados acima da expectativa de mercado nos setores de serviços, comércio e construção civil

Publicado

em

Metro1 – O governo aumentou a projeção para o crescimento da economia para 2019 e 2020. A estimativa do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, de 2019 foi revisada de 0,90% para 1,12%. Para 2020 a previsão é que o PIB tenha expansão de 2,40%, ante a previsão de 2,32%.

De acordo com a pasta, os indicadores de atividade têm apresentado resultados acima da expectativa de mercado, especialmente nos setores de serviços, comércio e construção civil. As estimativas estão no Boletim Macrofiscal, da Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia, divulgado hoje (14).

O Ministério da Economia destaca que há um crescimento na criação de empregos formais, o que, historicamente, leva a uma aceleração na previsão de crescimento do PIB.

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA