Conecte conosco

Saúde

Debate sobre transtornos alimentares é proposta de evento gratuito em Salvador

Publicado

em

Debate sobre transtornos alimentares é proposta de evento gratuito em Salvador

A obsessão pelo corpo perfeito pode ser o princípio de uma série de transtornos que geram muita dor e sofrimento, em especial de jovens. Embora fortemente marcados pelo contexto social, os transtornos alimentares se tratam de doenças que precisam ser diagnosticadas e tratadas corretamente para assegurar uma vida normal aos pacientes. Com o objetivo de proporcionar conhecimento e reflexões sobre este tema, o Encontros Holiste deste mês de maio tratará desse assunto. O evento é gratuito e voltado para familiares de pacientes.

O encontro acontece no dia 22, às 19h, no auditório da Holiste e abordará o tema “Transtornos Alimentares”, com palestras da psiquiatra Camila Coutinho e da nutricionista Joyce Souza.  Para ter uma dimensão do problema, um estudo da Secretaria de Saúde de São Paulo apontou que 77% dos jovens da cidade são propensos a desenvolver distúrbios alimentares, e a cada dois dias uma pessoa é internada no SUS por anorexia ou bulimia.

Estas patologias são caracterizadas pelo comprometimento persistente do comportamento alimentar e pela forma como o indivíduo percebe o próprio corpo. Em sua palestra, Camila Coutinho aborda o tema “Entendendo os Transtornos Alimentares”.

“Quem sofre deste transtorno não consegue fazer escolhas livres em relação a sua alimentação e sua forma física e, por isso, se tornam reféns de seus medos e obsessões. Para alcançar o corpo imaginado, os indivíduos portadores de TA apresentam comportamentos alimentar disfuncionais que podem comprometer sua saúde física e psíquica”, alerta a psiquiatra.

Joyce Souza vai abordar a “Reabilitação Nutricional”. Para a nutricionista da Holiste, as alterações do comportamento alimentar podem ter forte impacto sobre a saúde em geral da pessoa, manifestando-se por alterações constantes de peso e, em muitos casos, levando aos extremos como a anorexia e a obesidade mórbida.

 “Assim, a reabilitação do paciente deve ser realizada por uma equipe de profissionais multidisciplinar, que desenvolverão um plano de tratamento específico para cada paciente”, enfatiza Joyce.

Alguns dos transtornos alimentares mais comuns são obesidade, anorexia, bulimia e compulsão alimentar. As particularidades da sociedade atual vêm agregando novos nomes a esta lista, como ortorexia e vigorexia.

A ortorexia está associada à preocupação exagerada com a qualidade e procedência do que se come, que muitas vezes se estende para a família e os amigos. Vigorexia é um transtorno psicológico no qual a pessoa desenvolve uma obsessão em ter um corpo musculoso.

“Se a pessoa está muito acima ou abaixo do peso ideal para uma vida saudável, apresenta constante insatisfação com sua autoimagem e acumula prejuízos em sua vida social, é preciso buscar ajuda profissional”, revela a psiquiatra da Holiste, Camila Coutinho.

Serviço:

O que: Encontros Holiste – Transtornos Alimentares

Quando: dia 22 de maio, 19h

Onde: Auditório da Holiste Psiquiatria

Inscrições: gratuitas, pelo site encontros.holiste.com.br. As vagas são limitadas.

Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

SUS oferece mais quatro medicamentos para psoríase

Novos tratamentos são alternativas para casos mais graves da doença

Publicado

em

Metro1 – Mais quatro medicamentos para o tratamento de psoríase serão oferecidos de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS). As novas opções são para casos mais graves da doença ou mais resistentes aos remédios já ofertados, de acordo com o Ministério da Saúde.

Os tratamentos já eram ofertados pelo SUS com indicação para outras doenças. Entre os remédios, estão adalimumabe, para a primeira etapa do tratamento após falha da terapia padrão, secuquinumabe e ustequinumabe, para a segunda etapa do tratamento após falha da primeira, e etanercepte, para a primeira etapa de tratamento da psoríase após falha da terapia padrão em crianças.

Continuar Lendo

Saúde

Governo brasileiro planeja reduzir investimento em vacinas

Proposta prevê corte de R$ 393,7 milhões

Publicado

em

Metro1 – O Ministério da Saúde pretende reduzir as despesas com compra e distribuição de vacinas em 7% no ano que vem. A proposta, que está no projeto de lei orçamentária enviada pelo governo federal ao Congresso, prevê um corte de R$ 393,7 milhões.

Em entrevista com o Estadão, o Ministério da Saúde assegurou que a diminuição não vai afetar os recursos para compra de imunizantes. A pasta disse que está “ampliando as aquisições e recompondo os estoques com preços mais baixos dos que inicialmente estavam previstos”, e por isso o orçamento para 2020 é menor que o de 2019. O valor cai de R$ 5,3 bilhões neste ano para R$ 4,9 bilhões no ano que vem.

Continuar Lendo

Saúde

Policlínicas já atendem mais da metade dos municípios baianos

Publicado

em

Secom – As policlínicas regionais de saúde já atendem a população de 58% dos municípios da Bahia. Com a inauguração da 12ª unidade, em Jacobina, na última quinta-feira (12), são 239 municípios contemplados pelos serviços. Cada policlínica recebe R$ 22 milhões em investimentos do Governo do Estado, que é responsável pela construção, aquisição de equipamentos, mobiliário e micro-ônibus para o transporte dos pacientes. 
O principal objetivo das policlínicas é complementar a atenção básica de saúde. Elas são construídas em locais estratégicos no interior do estado, possibilitando a regionalização do atendimento à população, que não precisa percorrer longas distâncias ou aguardar tempo excessivo para o atendimento.
As policlínicas já funcionam nas regiões de Teixeira de Freitas (13 municípios atendidos), Guanambi (22 municípios), Jequié (28 municípios), Irecê (24 municípios), Feira de Santana (28 municípios), Alagoinhas (19 municípios), Santo Antônio de Jesus (28 municípios), Valença (13 municípios), Paulo Afonso (9 municípios), Juazeiro (10 municípios) e Vitória da Conquista (28 municípios). Também estão em construção as unidades de Salvador, Barreiras, Itabuna, São Francisco do Conde, Simões Filho e Senhor do Bonfim. 
A manutenção das unidades é compartilhada entre o Estado, que financia 40% dos custos, e os municípios do consórcio de saúde, que cobrem os 60% restantes.
Entregue pelo governador Rui Costa na quinta-feira (12), a policlínica em Jacobina será administrada pelo consórcio formado por 17 municípios: Caém, Caldeirão Grande, Capim Grosso, Jacobina, Mairi, Miguel Calmon, Mirangaba, Ourolândia, Piritiba, Quixabeira, São José do Jacuípe, Saúde, Serrolândia, Umburanas, Várzea da Roça, Várzea Nova e Várzea do Poço. 
Nas policlínicas, a população têm acesso gratuito a consultas em diversas especialidades médicas, a exemplo de angiologia, cardiologia, endocrinologia, gastrenterologia, neurologia, ortopedia e otorrinolaringologia, e exames como ressonância magnética, tomografia, mamografia, ultrassonografia com doppler, ecocardiografia, mapa, holter, eletroencefalograma, eletrocardiograma, endoscopia e colonoscopia.

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA