Conecte conosco

CORONAVÍRUS

Caixa deve receber 2,5 milhões de pessoas por dia até 13 de junho

O cronograma foi pensado para impedir picos de movimentação nas agências, como os ocorridos em 4 e 5 de maio

Publicado

em

Bahia.ba – Os novos calendários de saques do auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras) foram elaborados de modo a manter o fluxo nas agências da Caixa Econômica Federal em torno de 2,5 milhões de pessoas por dia, disse hoje, em Brasília, o presidente do banco, Pedro Guimarães.

Segundo Guimarães, esse movimento se repetira até 13 de junho, quando acabará o saque em dinheiro da segunda parcela. O cronograma foi pensado para impedir picos de movimentação nas agências, como os ocorridos em 4 e 5 de maio, quando o saque da primeira parcela em espécie coincidiu com a retirada do dinheiro por quem tinha transferido o benefício para a conta de amigos ou de parentes. “Esse equilíbrio é para ter 2,5 milhões de pessoas [sacando nas agências] na mesma data”, explicou o presidente da Caixa.

De hoje até o dia 29, as agências receberão diariamente 1,9 milhão de beneficiários do Bolsa Família, que retirarão a segunda parcela do auxílio emergencial com base no último dígito do Número de Inscrição Social (NIS).

A partir de amanhã, o movimento diário será reforçado por pessoas que tiveram a primeira parcela liberada na última sexta-feira (15). Esse contingente, de 8,3 milhões de pessoas, irá ao banco dividido em grupos de 600 mil pessoas por dia, com base no mês de nascimento.

De 30 de maio a 13 de junho, será a vez de os inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e dos trabalhadores informais irem às agências sacarem a segunda parcela em dinheiro. A retirada também se dará conforme o mês de nascimento, num total estimado entre 2,4 milhões e 2,7 milhões de pessoas por dia.

O pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial para os informais e os inscritos no CadÚnico começa amanhã e vai até o dia 26, mas o dinheiro só será depositado na conta poupança digital da Caixa.

CORONAVÍRUS

Avião com primeiro lote da vacina Coronavac desembarca no Brasil

Imunizante é testado em estudo em estágio avançado de Fase 3 no Brasil pelo Instituto Butantan

Publicado

em

Metro1 – O avião com o primeiro lote de doses prontas da vacina Coronavac, vindas da China, chegou hoje (19) Brasil, no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. O imunizante está atualmente em estágio avançado de testes de Fase 3 no país pelo Instituto Butantan. Ao todo, 120 mil doses do imunizante desembarcaram no país. Ainda neste mês, o Butantan espera receber 600 litros de matéria-prima da Sinovac para iniciar a produção local da vacina.

Na avaliação do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, o instituto será capaz de produzir 46 milhões de doses de vacinas até janeiro. Nesta semana, pesquisadores apontaram que dados preliminares dos testes clínicos com o imunizante mostraram que a vacina induziu uma rápida resposta imune, mas o nível de anticorpos produzidos foi menor do que o visto em pessoas que se recuperaram da doença.

Embora os testes em estágios inicial e intermediário não tenham sido desenvolvidos para determinar a eficácia da Coronavac, os pesquisadores disseram que ela pode fornecer proteção suficiente, com base na experiência com outras vacinas e em dados de estudos pré-clínicos em macacos.

Continuar Lendo

CORONAVÍRUS

Em novo recorde, Bahia registra 3.840 casos confirmados e 53 mortes, em 24 horas

Atualização da Secretaria da Saúde da Bahia eleva número total de infectados para 73.307 casos e 1.853 óbitos, desde o início da pandemia

Publicado

em

Bahia.ba – O mais recente boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) aponta que nas últimas 24 horas, a Bahia registrou mais um recorde nesta crise sanitária: foram notificados 3.840 novos casos de Covid-19, representando uma taxa de crescimento de +5,5%.

Ainda segundo o boletim, 53 pessoas morreram em decorrência do novo coronavírus e 3.813 foram curadas, até as 18h desta terça. No último domingo (28), o estado contabilizou 3.251 novas notificações, este era o maior número em apenas um dia.

Essa atualização eleva o número total de infectados no território baiano para 73.307 casos confirmados e 1.853 óbitos, desde o início da pandemia. Destes, 47.759 casos são considerados curados, 23.695 ainda encontram-se ativos e 8.724 profissionais da saúde foram positivados para a doença.

As confirmações da Sesab ocorreram em 385 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (47,05%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Itajuípe (1.898,39), Gandu (1.539,98), Ipiaú (1.510,69), Uruçuca (1.271,99) e Itabuna (1.210,00).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 162.200 casos descartados e 75.726 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde.

Em relação aos leitos de UTI adulto e pediátrico, dos 916 leitos exclusivos para o coronavírus, 718 possuem pacientes internados, compreendendo uma taxa de ocupação de 78%.

Continuar Lendo

CORONAVÍRUS

Bolsonaro estenderá auxílio emergencial em duas parcelas de R$ 600, diz jornal

Governo havia anunciado anteriormente que pagamentos seriam de R$ 500, R$ 400 e R$ 300

Publicado

em

Bahia.ba – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciará ainda nesta terça-feira (30) a prorrogação do auxílio emergencial e, segundo membros do governo, o Executivo caminha para conceder mais duas parcelas de R$ 600.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, fontes afirmam à reportagem que a decisão vai em direção a esse desfecho devido à facilidade de a proposta ser executada sem passar pelo Congresso, já que o governo não precisaria enviar um novo texto aos parlamentares.

A lei que instituiu o auxílio concedeu ao Executivo a possibilidade de renovar o benefício se os valores forem mantidos e a proposta inicial era de o auxílio ser concedido durante três meses, por R$ 600.

A decisão de manter o valor por mais dois meses será diferente daquela anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro ao lado do ministro Paulo Guedes (Economia) na última quinta-feira (25). Eles informaram em live que deveria haver uma prorrogação do auxílio por mais três meses em parcelas de R$ 500, R$ 400 e R$ 300.

As discussões foram tomadas por idas e vindas e, nesta terça, Guedes chegou a falar em uma prorrogação maior, de três meses.

“Demos os três meses iniciais e estendemos agora porque ela [pandemia] não começou a descer ainda. Estendemos por mais três meses, mas acreditamos que realmente ela vá descer nesses próximos três meses”, disse.

Ainda de acordo com a Folha, o ministro sinalizou que o grau de contaminação do coronavírus pode levar a uma extensão ainda maior da medida. “Se não descer [a pandemia], lá vamos nós pensar de novo em quanto tempo mais teremos que segurar o fôlego”, disse.

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA