Conecte conosco

Tech

Apple apresenta novos modelos do iPhone com câmera dupla e opção de cores

Além da melhora no processador, o novo iPhone é considerado mais resistente a água, riscos e quedas

Publicado

em

Bahia.ba – Com novo design e opções de novas cores, a Apple anunciou da tarde desta terça-feira (10) os novos modelos do iPhone 11. O anúncio foi feito pelo presidente da empresa, Tim Cook, durante evento no Teatro Steve Jobs, na Califórnia, nos EUA.

Os modelos contam com tela de 6,1 polegadas, câmera dupla, sensor de reconhecimento facial para desbloqueio de tela e novas opções de cores. O iPhone 11 Pro será o sucessor do iPhone XS, enquanto o iPhone 11 Pro Max entra no lugar do iPhone XS Max.

O novo modelo da marca conta com um sistema de som que é emitido de diferentes pontos para passar a sensação de áudio imersivo. A câmera dupla oferece ângulo de captura ultrawide, como o de uma câmera de ação GoPro, e um zoom óptico de 2x para retratos. A ideia é permitir fotos amplas ou mais fechadas, conforme for a necessidade do usuário no momento da captura da foto.

A câmera também conta com um novo modo noturno para melhorar a iluminação das imagens em ambientes pouco iluminados. O dispositivo da Apple chega também com um novo modo de selfies em câmera lenta (basicamente, vídeos) que poderão ser feitas apenas com os novos iPhones 11.

Por dentro, o iPhone 11 conta com o novo processador da Apple chamado A13 e um chip de processamento gráfico (para games) que a empresa americana promete ser o melhor em um smartphone atualmente.

O iPhone 11 Pro custa a partir de US$ 999 nos Estados Unidos, enquanto o iPhone 11 Pro Max será vendido por ao menos US$ 1.099.

Ainda não há estimativa de preço no Brasil.

MUNDO

Twitter lança ferramenta para ajudar pesquisadores acadêmicos

Segundo o Twitter, o lançamento do Academic Research é uma resposta à comunidade de pesquisadores que usam a plataforma e realizam pesquisas sobre ela

Publicado

em

Metro1 – O Twitter lançou neste começo de ano uma ferramenta que promete facilitar o acesso de pesquisadores acadêmicos aos dados da rede social. Chamada de Academic Research, a aplicação permitirá acesso à API do Twitter, possibilitando o contato com recursos e guias de como trabalhar os dados públicos da rede, de acordo com o jornal Folha de S. Paulo.

Segundo o Twitter, o lançamento do Academic Research é uma resposta à comunidade de pesquisadores que usam a plataforma e realizam pesquisas sobre ela. A empresa afirma ainda que pretende realizar mais aprimoramentos ainda em 2020.

As ferramentas de desenvolvedor podem ser usadas por qualquer pessoa no mundo. Não há planos para traduzir a página para o português no momento.

Continuar Lendo

Tech

WhatsApp traz função de desbloqueio com biometria para o Android

A função já estava disponível para o sistema iOS desde fevereiro

Publicado

em

Bahia.ba – A partir de agora o WhatsApp trará para os usuários de celulares com o sistema Android a função de desbloqueio do aplicativo com reconhecimento de impressão digital.  A função já estava disponível para iPhones desde fevereiro.

Ativando esse mecanismo, é possível determinar uma quantidade de tempo desde a última vez que o aplicativo for utilizado e, depois desse tempo, será necessário usar a credencial de biometria pra desbloquear o acesso ao aplicativo.

Apesar disso, diferente do iPhone, que permite que o desbloqueio seja feito com biometria de rosto (que a Apple chama de Face ID), a função nos Androids está limitada à biometria por impressão digital.

É uma função de segurança adicional. Por exemplo, caso alguém consiga acessar ao aparelho do usuário, precisaria necessariamente de uma confirmação de biometria para conseguir ler as conversas do aplicativo.

Continuar Lendo

MUNDO

Google anuncia fabricação de primeiro computador quântico útil da história

Não foi divulgado quando a máquina estará pronta ou se será comercializada

Publicado

em

Metro1 – O Google anunciou ontem (23) que vai fabricar o primeiro computador quântico com funções úteis da história. Não foi divulgado, no entanto, quando ele estará pronto ou se será comercializado. 

Já havia a suspeita sobre a produção, já que no dia 20 de setembro um funcionário da Nasa envolvido no projeto, então secreto, acidentalmente publicou um estudo feito  pela Google, por meio de uma máquina chamada de Sycamore, que mostrava a estabilização da versão quântica dos bits (qubits) em velocidades nunca vistas antes. 

A máquina foi capaz de solucionar, em três minutos, cálculos que poderiam levar até 10 mil anos para serem concluídos. Com isso, a Google teria atingido a chamada supremacia quântica. 

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA