Conecte conosco

BAHIA

“Jênio”: Igor Kanário tenta convencer que reforma da previdência “é bom pra nóis”

Publicado

em

Como se estivesse comemorando a maior conquista dos mais pobres da Bahia, O deputado federal Igor Kannário (DEM) comentou nesta quinta-feira (11/07), através do Instagram, os ataques recebido nas redes sociais por ter votado favorável a Reforma da Previdência.

A reforma da Previdência foi aprovada na Câmara Federal na noite de ontem e assim como o baiano, outros 378 parlamentares optaram por aprovar o texto-base.

Igor Kannário gravou um vídeo e reafirmou que é “desassombrado” e votou “sim porque é bom pra ‘nois’”.

“Eu tô vendo aqui vários ‘mimimis’, vários comentários aí nas redes sociais tentando denegrir, né? Ou confundir, né? Pra poder ver se divide a nossa favela. Pra poder ver se vocês ficam contra mim. Pra ver se eu perco a credibilidade”, disparou o deputado, que acrescentou.

“A conta vai chegar pra vocês. Eu sou destemido, sem medo de nada e vou continuar, foi por isso que eu votei sim, porque eu sei que é bom para ‘nois’. Eu votei sim porque eu não tenho rabo preso com ninguém. Eu jamais deixarei de ser eu. Independente do que aconteça, eu sempre serei favela”, disse Kannário.

O parlamentar ainda aconselhou seu público a procurar se “informar, procura ler, para quando vim esses ‘bunda-moles’ ‘ae’ falar um monte de besteira, vocês saber como responder. Fiquem com Deus e tamo juntos, deixa Deus conduzir as paradas”, concluiu Kannário.

https://www.instagram.com/p/BzylFIeJtjm/?utm_source=ig_web_copy_link

Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BAHIA

Bahia tem maior taxa de desocupação e n° de desalentados do país, aponta IBGE

Dados fazem parte da PNAD Contínua, divulgada pelo IBGE hoje (15)

Publicado

em

Metro1 – O estado da Bahia registrou a taxa de desocupação de 17,3% no segundo trimestre de 2019. O índice é o maior do país, que computou taxa de 12%. Depois da Bahia, as maiores taxas foram obervadas no Amapá (16,9%) e Pernambuco (16,0%).

Os dados fazem parte da PNAD Contínua, divulgada pelo IBGE hoje (15). 

Já o número de desalentados no segundo trimestre do ano foi de 4,9 milhões de pessoas de 14 anos ou mais. Os maiores contingentes estavam na Bahia (766 mil pessoas) e no Maranhão (588 mil).

No mesmo período, em todo o país, a taxa composta de subutilização da força de trabalho foi de 24,8%. Piauí (43,3%), Maranhão (41,0%) e Bahia (40,1%) apresentam as maiores taxas, todas acima de 40%. A taxa corresponde ao percentual de pessoas desocupadas, subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas e na força de trabalho potencial em relação a força de trabalho ampliada.

Continuar Lendo

BAHIA

Dezesseis deputados federais na Bahia são cotados para disputar prefeituras em 2020

Publicado

em

BahiaNoticiasQuase metade da bancada baiana na Câmara dos Deputados avalia a possibilidade de disputar uma prefeitura baiana na eleição do próximo ano. Levantamento feito pelo Bahia Notícias mostra que 16 dos 39 parlamentares são especulados para o pleito de 2020, o que pode abrir espaço para os suplentes. 

O PT é o partido com o maior número de cotados para a eleição. No entanto, só Zé Neto está confirmado como candidato a prefeito de Feira de Santana. Além dele, sonham com o Executivo pela sigla: Jorge Solla, Valmir Assunção, Nelson Pelegrino e Waldenor Pereira. Os três primeiros querem brigar pelo Palácio Thomé de Souza, já o último deseja a prefeitura de Vitória da Conquista.

O sonho de Waldenor Pereira esbarra, porém, no ex-prefeito Guilherme Menezes, que é considerado o postulante natural do partido na cidade, segundo o presidente do PT da Bahia, Everaldo Anunciação. Além dos petistas, mais nove deputados federais quem competir pela sucessão de ACM Neto (DEM) em 2020.

São eles: Alice Portugal (PCdoB), Antonio Brito (PSD), Bacelar (Podemos), Cacá Leão (PP), Felix Mendonça Júnior (PDT), João Roma e Márcio Marinho, ambos do PRB, Pastor Sargento Isidório (Avante) e Lídice da Mata (PSB). Brito também é um nome especulado para prefeitura de Jequié, e Isidório é cotado para os Executivos de Candeias e São Francisco do Conde.

Neófita na política, a presidente do PSL na Bahia, Dayane Pimentel, é mais uma que não descarta a hipótese de pleitear um cargo no Executivo. Ela pode brigar pela prefeitura de Feira de Santana no próximo ano. Já Leur Lomanto Júnior (DEM) tem sido pressionado a aceitar o convite para competir pela prefeitura de Jequié. Todavia, o democrata resiste à proposta. 

CALENDÁRIO DE REFORMAS
Nos bastidores, o que se diz é que o debate eleitoral de 2020 pode atrasar a agenda de reformas proposta pelo governo federal. A reforma tributária, próxima da lista após a previdenciária, não é consenso entre empresários e pode não trazer benefícios para os municípios (veja aqui). Com medo de mitigar apoio, os parlamentares de olho no Executivo podem tentar atrasar o debate reformista para aumentarem as chances nas eleições municipais. 

Pré-candidato em Feira de Santana, o deputado federal baiano Zé Neto (PT) declarou que o ano Legislativo que dará prosseguimento às reformas será difícil não só pelos parlamentares prefeituráveis. “Ano eleitoral é um sacrifício para se colocar deputado dentro do plenário. É na eleição de prefeito que começa a eleição do deputado. Você precisa cuidar da sua base e se envolver no calendário eleitoral, independente de candidatura”, falou. 

O petista acenou para a proposta de unificação dos mandatos político-partidários. “As eleições deveriam acontecer unificadas de 5 em 5 anos, de vereador para presidente da República. Assim teríamos um processo organizado”, declarou Zé Neto. 

O movimento de unificar as eleições municipais com as estaduais é pleito antigo, mas que nunca caminhou rumo à concretização. Setores da sociedade política defendem que uma eleição em cada dois anos torna o calendário político no Brasil uma eterna campanha 

Quase metade da bancada baiana na Câmara dos Deputados avalia a possibilidade de disputar uma prefeitura baiana na eleição do próximo ano. Levantamento feito pelo Bahia Notícias mostra que 16 dos 39 parlamentares são especulados para o pleito de 2020, o que pode abrir espaço para os suplentes. 

O PT é o partido com o maior número de cotados para a eleição. No entanto, só Zé Neto está confirmado como candidato a prefeito de Feira de Santana. Além dele, sonham com o Executivo pela sigla: Jorge Solla, Valmir Assunção, Nelson Pelegrino e Waldenor Pereira. Os três primeiros querem brigar pelo Palácio Thomé de Souza, já o último deseja a prefeitura de Vitória da Conquista.

O sonho de Waldenor Pereira esbarra, porém, no ex-prefeito Guilherme Menezes, que é considerado o postulante natural do partido na cidade, segundo o presidente do PT da Bahia, Everaldo Anunciação. Além dos petistas, mais nove deputados federais quem competir pela sucessão de ACM Neto (DEM) em 2020.

São eles: Alice Portugal (PCdoB), Antonio Brito (PSD), Bacelar (Podemos), Cacá Leão (PP), Felix Mendonça Júnior (PDT), João Roma e Márcio Marinho, ambos do PRB, Pastor Sargento Isidório (Avante) e Lídice da Mata (PSB). Brito também é um nome especulado para prefeitura de Jequié, e Isidório é cotado para os Executivos de Candeias e São Francisco do Conde.

Neófita na política, a presidente do PSL na Bahia, Dayane Pimentel, é mais uma que não descarta a hipótese de pleitear um cargo no Executivo. Ela pode brigar pela prefeitura de Feira de Santana no próximo ano. Já Leur Lomanto Júnior (DEM) tem sido pressionado a aceitar o convite para competir pela prefeitura de Jequié. Todavia, o democrata resiste à proposta. 

CALENDÁRIO DE REFORMAS
Nos bastidores, o que se diz é que o debate eleitoral de 2020 pode atrasar a agenda de reformas proposta pelo governo federal. A reforma tributária, próxima da lista após a previdenciária, não é consenso entre empresários e pode não trazer benefícios para os municípios (veja aqui). Com medo de mitigar apoio, os parlamentares de olho no Executivo podem tentar atrasar o debate reformista para aumentarem as chances nas eleições municipais. 

Pré-candidato em Feira de Santana, o deputado federal baiano Zé Neto (PT) declarou que o ano Legislativo que dará prosseguimento às reformas será difícil não só pelos parlamentares prefeituráveis. “Ano eleitoral é um sacrifício para se colocar deputado dentro do plenário. É na eleição de prefeito que começa a eleição do deputado. Você precisa cuidar da sua base e se envolver no calendário eleitoral, independente de candidatura”, falou. 

O petista acenou para a proposta de unificação dos mandatos político-partidários. “As eleições deveriam acontecer unificadas de 5 em 5 anos, de vereador para presidente da República. Assim teríamos um processo organizado”, declarou Zé Neto. 

O movimento de unificar as eleições municipais com as estaduais é pleito antigo, mas que nunca caminhou rumo à concretização. Setores da sociedade política defendem que uma eleição em cada dois anos torna o calendário político no Brasil uma eterna campanha 

Quase metade da bancada baiana na Câmara dos Deputados avalia a possibilidade de disputar uma prefeitura baiana na eleição do próximo ano. Levantamento feito pelo Bahia Notícias mostra que 16 dos 39 parlamentares são especulados para o pleito de 2020, o que pode abrir espaço para os suplentes. 

O PT é o partido com o maior número de cotados para a eleição. No entanto, só Zé Neto está confirmado como candidato a prefeito de Feira de Santana. Além dele, sonham com o Executivo pela sigla: Jorge Solla, Valmir Assunção, Nelson Pelegrino e Waldenor Pereira. Os três primeiros querem brigar pelo Palácio Thomé de Souza, já o último deseja a prefeitura de Vitória da Conquista.

O sonho de Waldenor Pereira esbarra, porém, no ex-prefeito Guilherme Menezes, que é considerado o postulante natural do partido na cidade, segundo o presidente do PT da Bahia, Everaldo Anunciação. Além dos petistas, mais nove deputados federais quem competir pela sucessão de ACM Neto (DEM) em 2020.

São eles: Alice Portugal (PCdoB), Antonio Brito (PSD), Bacelar (Podemos), Cacá Leão (PP), Felix Mendonça Júnior (PDT), João Roma e Márcio Marinho, ambos do PRB, Pastor Sargento Isidório (Avante) e Lídice da Mata (PSB). Brito também é um nome especulado para prefeitura de Jequié, e Isidório é cotado para os Executivos de Candeias e São Francisco do Conde.

Neófita na política, a presidente do PSL na Bahia, Dayane Pimentel, é mais uma que não descarta a hipótese de pleitear um cargo no Executivo. Ela pode brigar pela prefeitura de Feira de Santana no próximo ano. Já Leur Lomanto Júnior (DEM) tem sido pressionado a aceitar o convite para competir pela prefeitura de Jequié. Todavia, o democrata resiste à proposta. 

CALENDÁRIO DE REFORMAS
Nos bastidores, o que se diz é que o debate eleitoral de 2020 pode atrasar a agenda de reformas proposta pelo governo federal. A reforma tributária, próxima da lista após a previdenciária, não é consenso entre empresários e pode não trazer benefícios para os municípios (veja aqui). Com medo de mitigar apoio, os parlamentares de olho no Executivo podem tentar atrasar o debate reformista para aumentarem as chances nas eleições municipais. 

Pré-candidato em Feira de Santana, o deputado federal baiano Zé Neto (PT) declarou que o ano Legislativo que dará prosseguimento às reformas será difícil não só pelos parlamentares prefeituráveis. “Ano eleitoral é um sacrifício para se colocar deputado dentro do plenário. É na eleição de prefeito que começa a eleição do deputado. Você precisa cuidar da sua base e se envolver no calendário eleitoral, independente de candidatura”, falou. 

O petista acenou para a proposta de unificação dos mandatos político-partidários. “As eleições deveriam acontecer unificadas de 5 em 5 anos, de vereador para presidente da República. Assim teríamos um processo organizado”, declarou Zé Neto. 

O movimento de unificar as eleições municipais com as estaduais é pleito antigo, mas que nunca caminhou rumo à concretização. Setores da sociedade política defendem que uma eleição em cada dois anos torna o calendário político no Brasil uma eterna campanha 

Continuar Lendo

BAHIA

Nestlé anuncia investimento de R$ 45 milhões na Bahia

De acordo com a empresa, a nova operação iniciará em meados de 2020 e vai gerar 140 novos postos de trabalho em Feira de Santana

Publicado

em

Bahia.ba – A Nestlé Brasil vai investir R$ 45 milhões na Bahia para a instalação de três novas linhas de produção de Nescau Pronto para Beber (RTD), na unidade de Feira de Santana.

O anúncio ao Governo do Estado foi feito durante reunião entre executivos do grupo e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), nesta quarta-feira (14). De acordo com a empresa, a nova operação iniciará em meados de 2020 e vai gerar 140 novos postos de trabalho.

“Para o estado, essa notícia é muito positiva, pois comprova a boa relação da Nestlé com o governo baiano e com o povo daqui. Mostra também que a empresa acredita e continuará investindo na Bahia, onde hoje geram 900 empregos diretos e indiretos”, disse Luiz Gugé, chefe de Gabinete da SDE e secretário em exercício.

Itabuna – A Nestlé comunicou ainda que iniciará o trabalho de transição da operação de Itabuna para Feira de Santana. Junto com a SDE, a empresa já iniciou um processo de prospecção de novos investidores para atuação na planta fabril da empresa, em Itabuna, a partir de 2020.

“Além dos 140 novos postos de trabalho em Feira de Santana, queremos que sejam asseguradas novas vagas de emprego também em Itabuna. A SDE já foi procurada por grupos empresariais interessados em ampliar a produção, e Itabuna é uma possibilidade real. Para tanto, conduziremos as tratativas regimentais de forma célere, para a concreta implantação de uma nova fábrica naquele município”, disse Gugé.

A Nestlé informou que ofereceu aos funcionários, que atuam em Itabuna, a possibilidade de migrar para a fábrica de Feira, a partir do ano que vem, e que irá apoia-los na tomada de decisão.

Na unidade de Feira de Santana, a empresa tem colaboradores de 65 municípios baianos e cerca de 70% deles residem na própria cidade.

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA