Conecte conosco

BRASIL

E SE LULA FOR ABSOLVIDO?

Publicado

em

Os jornalistas Marcelo Auler e Arnaldo César Ricci já estão em Porto Alegre acompanhando os acontecimentos em torno do julgamento do ex-presidente Lula, marcado para o dia 24.

“Os três desembargadores do TRF-4 (João Pedro Gebran Neto, Leandro Paulsen, Victor Luiz Laus) que irão julgar o recurso, na próxima quarta-feira, diante de toda a tensão gerada em torno deste processo, perceberão que a História do Brasil passará pelas mãos e mentes deles? Que não poderão cometer erros grosseiros com fez o colega deles de Curitiba?”, diz o texto de Ricci, publicado no Blog do Auler.

Os jornalistas acreditam que se Lula for absolvido, a vitória na eleição está praticamente garantida.

“A direita, que até agora não consegui arranjar um candidato à altura de uma disputa com Lula, está desesperada com a possibilidade de o petista sair vitorioso de Porto Alegre. No caso de um 2 a 1 a favor dele, inocentando-o de vez, o primeiro turno da sucessão presidencial estaria decidido já na quarta feira vindoura”.

“As eleições em outubro serviriam apenas para cumprir tabela. Hoje, com 36% das intenções de votos, de acordo com o DataFolha, Lula terá grandes chances de ganhar o pleito de outubro com mais de 60%. E, o que deixa as elites e o famigerado “mercado” em pânico: o rolo compressor de Lula nas urnas deverá lhe dar a tão sonhada maioria na Câmara Federal e no Senado, garantindo-lhe uma governabilidade mais consistente”.

do Blog do Auler

Continuar Lendo
Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BRASIL

O QUE VAI ACONTECER? VAI DAR PT

Publicado

em

Vai dar PT

Pelo andar da carruagem…  Aprende ai a coreografia.

Continuar Lendo

BRASIL

O PATO PATETA; A MELHOR MANIFESTAÇÃO POLÍTICA QUE JÁ ASSISTI

Publicado

em

Em Goiás, crianças cantam ‘O pato pateta’ para Temer.

Continuar Lendo

BRASIL

Veja os candidatos a presidente definidos nas convenções partidárias

Publicado

em

Candidatos à Presidência da República definidos em convenção para as eleições de 2018 (Foto: Reprodução)

Palavra Digital – No primeiro fim de semana de convenções nacionais, os partidos políticos confirmaram cinco candidatos a presidente da República: Ciro Gomes (PDT), Guilherme Boulos (PSOL), Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Rabello de Castro (PSC) e Vera Lúcia (PSTU). As convenções têm de ser realizadas até 5 de agosto, e o prazo para pedir o registro das candidaturas na Justiça Eleitoral encerra-se em 15 de agosto.

A lei eleitoral permite, a partir da homologação das convenções, a formalização de contratos para instalação física e virtual dos comitês dos candidatos e dos partidos. O pagamento de despesas, porém, só pode ser feito após a obtenção do CNPJ do candidato e a abertura de conta bancária específica para movimentação financeira de campanha e emissão de recibos eleitorais.

Segundo o calendário das eleições de 2018, a partir de quarta-feira (25), a Justiça Eleitoral poderá encaminhar à Secretaria da Receita Federal os pedidos para inscrição de candidatos no CNPJ. A partir dessa data, os partidos políticos e os candidatos devem enviar à Justiça Eleitoral, para divulgação na internet, os dados de arrecadação para financiamento da campanha eleitoral, observado o prazo de 72 horas após o recebimento dos recursos.

Nas convenções nacionais, o PSL, o PDT e o PSC não escolheram os candidatos a vice. Caberá à direção nacional do PDT articular as alianças para o primeiro turno das eleições e o vice de Ciro Gomes. O PSC vai buscar um vice que agregue apoios, mas o candidato demonstrou disposição de ter uma mulher na sua chapa. No PSL, o nome forte para compor a chapa de Bolsonaro é o da advogada Janaina Paschoal, que participou da convenção ao lado do candidato a presidente.

O PSOL formou uma chapa puro sangue: Sônia Guajajara será a candidata a vice de Boulos. O partido, no entanto, disputará as eleições de outubro coligado com o PCB, que realizou convenção na última sexta-feira e aprovou a aliança. O PSTU optou por não fazer coligações. O vice de Vera Lúcia será Hertz Dias.

O PMN e o Avante realizaram ontem convenções nacionais e decidiram não lançar candidatos a Presidência da República. Na convenção, o Avante decidiu dar prioridade à eleição de deputados federais: terá uma chapa com cerca de 80 nomes e pretende eleger pelo menos cinco. O Avante não definiu se apoiará algum candidato a presidente no primeiro turno. O PMN decidiu dar apoio a nenhuma chapa nas eleições presidenciais.

No próximo sábado (28), devem reunir-se SD, PTB, PV, PSD e DC.(AGÊNCIA BRASIL)

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Copyright © 2017 Tudo é Política