Conecte conosco

MUNDO

Ambulâncias com 10 venezuelanos feridos estão a caminho de Boa Vista

Duas ambulâncias, com 5 venezuelanos feridos em cada veículo, estão a caminho da cidade Boa Vista, capital de Roraima, na tarde desta sexta-feira (22).

Publicado

em

Ambulâncias com 10 venezuelanos feridos estão a caminho de Boa Vista

Agência Sputink – Os dois veículos seguiram primeiro para o Hospital Délio Tupinambá, o único de Pacaraima, mas depois saíram com destino ao Hospital Geral de Roraima, em Boa Vista, a 215 km da fronteira. 

Em entrevista à Sputnik Brasil, Ivani de Moraes afirmo, técnica de enfermagem do hospital de Boa Vista, os dois veículos carregam 10 indígenas venezuelanos feridos, 5 em cada veículo.

Segundo o jornal Washington Post, na manhã desta sexta-feira, um comboio militar se aproximou de um ponto de controle próximo a uma comunidade indígena na vila de Kumarakapai, perto de uma das vias que ligam os dois países.

Quando um grupo de pessoas tentou bloquear a passagem do comboio, os soldados abriram fogo, ferindo ao menos 22 pessoas e deixando 2 mortos. O governo de Nicolás Maduro não confirma que houve o conflito. As informações, até o momento, foram dadas pela imprensa internacional e por políticos de oposição.

A fronteira entre Venezuela e Brasil está fechada desde a noite de quinta-feira (21). No entanto, a Guarda Nacional permitiu a passagem das duas ambulâncias com os feridos para que eles fossem atendidos no Brasil.

De acordo com a Reuters, alguns indígenas haviam expressado apoio aos planos da oposição venezuelano de permitir a entrada de ajuda humanitária na Venezuela. Maduro justifica que a entrada de ajuda humanitária seria uma espécie de disfarce para facilitar uma intervenção dos Estados Unidos e ordenou aos militares que impeçam a entrada dos mantimentos.

MUNDO

Venezuela: Ministro da Defesa nega possível golpe de Estado

Ministro destacou que militares irão defender Nicolás Maduro

Publicado

em

Metro1 – O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, negou que possa ocorrer um golpe de Estado no país, e destacou que os militares ficarão do lado do presidente Nicolás Maduro.

“Não vai haver nem golpe de Estado, nem governo de fato, nem transição alguma. Aqui não vai se instalar qualquer governo porque as Forças Armadas estão consciente das suas obrigações morais e constitucionais”, declarou López. Ele acrescentou que os militares vão “defender a democracia” e o “presidente Nicolás Maduro, eleito pelo povo”.

Continuar Lendo

MUNDO

Macri anuncia medidas econômicas após derrota em prévias eleitorais

Empregados públicos e das forças armadas receberão um abono de 5 mil pesos no final do mês

Publicado

em

Metro1 – Após derrota sofrida nas prévias eleitorais de domingo (11) e com a desvalorização da moeda argentina, o presidente Mauricio Macri, anunciou hoje (14) um pacote de medidas econômicas destinadas aos trabalhadores e às pequenas e médias empresas.

De acordo com o G1, entre as ações anunciadas, estão bônus de até 2 mil pesos extras aos trabalhadores entre setembro e outubro.

Os desocupados e os trabalhadores informais receberão dois pagamentos extras do benefício que já recebem por seus filhos.

Já os empregados públicos e das forças armadas receberão um abono de 5 mil pesos no final do mês.

Macri ainda anunciou que o salário mínimo será elevado, no entanto, não antecipou o valor. Segundo ele, o conselho de salário será convocado hoje para decidir sobre o aumento.

As pequenas e médias empresas vão ser beneficiadas com um novo plano, para permitir o pagamento das obrigações tributárias em até dez anos.

Continuar Lendo

MUNDO

Alemanha julga ex-guarda nazista por mais de 5 mil mortes

Ex-membro da SS tem 92 anos e atuou em campo de concentração

Publicado

em

Metro1 – A Justiça marcou para outubro o que deve ser um dos últimos julgamentos de crimes nazistas, desta vez de um ex-membro da SS (organização paramilitar durante o regime nazista) de 92 anos por ser cúmplice na morte de 5.230 prisioneiros no campo de concentração de Stutthof, na Polônia.

Bruno D. atuava como guarda no campo, e é acusado de envolvimento em assassinatos cometidos entre agosto de 1944 e abril de 1945, quando trabalhou no local. Ele tinha entre 17 e 18 anos e integrou a máquina “de assassinatos em massa” no campo de concentração por ser guarda da SS, segundo a Promotoria. Devido à idade que Bruno tinha, o processo será analisado por um Tribunal Juvenil.

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA