Conecte conosco

BRASIL

Colégio divulga vídeo com crianças dizendo slogan de Bolsonaro

Escola particular divulgou em suas redes sociais um vídeo com alunos cantando o hino nacional e repetindo a frase “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”

Publicado

em

GAZETA DO POVO – Após polêmica causada pelo Ministério da Educação (MEC), que pediu a escolas públicas e particulares que lessem uma carta do ministro Ricardo Vélez Rodríguez, que terminava com o slogan do presidente Jair Bolsonaro, “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, uma escola particular no interior de São Paulo decidiu divulgar em suas redes sociais um vídeo em que mostra crianças cantando o hino nacional e finalizando o ato com a frase adotada durante a campanha eleitoral.

ASSISTA: Veja o vídeo publicado nas redes sociais (alterado para preservar a identidade das pessoas filmadas)

Leia também: Sem slogan de Bolsonaro: MEC volta atrás e revisa pedido enviado a escolas de todo país

“O Colégio Dom Gaspar tem orgulho em dizer que nunca deixamos de cantar com nossos alunos o Hino de nossa pátria todas as terças feira. Ensinamos a honrar nossa Bandeira e nossa Pátria desde pequenos com muito respeito e amor no coração”, escreveu a instituição em seu perfil no Facebook nesta terça-feira (26). No mesmo dia, o MEC já tinha reconhecido o erro de pedir a repetição do slogan da campanha eleitoral nas escolas.

Procurado pela Gazeta do Povo, o Colégio Dom Gaspar não respondeu à reportagem.

A veiculação do colégio causou reações de repúdio e elogios. “Desde já informo que a veiculação das imagens de meus dois filhos não está autorizada para slogan de campanha/ideologia de partido político. É necessário que eu protocole algo na secretaria da escola?”, escreveu um pai.

“Acho que essa escola não notou que até o próprio ministro voltou atrás do que fez. (…) o problema não é cantar o Hino que já é feito em varias escolas, o problema é tratar isso como algo obrigatório, filmar sem autorização e publicar usando o Slogan de um candidato/Presidente”, apontou outro internauta. “Não tem presidente nenhum que possa obrigar crianças a decorarem e falarem Slogan de campanha. Isso fere a constituição e o ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente]. Ou no Brasil tá virando uma ditadura que o presidente pode passar por cima de tudo?”, anotou um terceiro.

Em defesa do colégio, um usuário escreveu: “lembrando que o colégio Dom Gaspar é confecionalmente [sic] cristão. Há inclusive ensino bíblico e aulas de ética baseada nos princípios cristãos (portando um único Deus). Nas escolas públicas o ensino deve ser laico. Na rede particular, matricula quem concorda / se identifica com o sistema de ensino aplicado por ela”.

* Assista ao vídeo:

Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BRASIL

Bolsonaro diz que não fará demarcação de terras indígenas

Presidente também criticou Alemanha e Noruega e disse que países estavam comprando o Brasil à prestação

Publicado

em

Metro1 – O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse hoje (16) que não fará demarcação de terras indígenas durante seu governo. Ele também criticou a Alemanha e a Noruega por suspenderem seus repasses para o Fundo Amazônia, falando que esses países estão comprando o Brasil à prestação.

“Enquanto eu for presidente não tem demarcação de terra indígena. Eles têm 14% do território nacional. Imagine a Região Sudeste, uma área maior que essa já é terra indígena, não é área suficiente? Ontem eu estive de novo com um grupo de indígenas e eles querem liberdade para trabalhar na sua área, não querem viver como em um confinamento, como seres pré-históricos”, disse o presidente.

Como um dos exemplos de que o Brasil está sendo comprado, ele citou a expansão do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, ampliado no governo Temer em 2017. “O pessoal está comprando à prestação o Brasil. A compra no passado era também demarcando terras, o Brasil só fazia acordos lá fora em troca de abrir mão de sua soberania, demarcando terras indígenas, ampliando parques”, afirmou Bolsonaro.

Em sua visão, terras demarcadas para população indígena e reservas atrapalham o desenvolvimento do Brasil.“Não pode continuar assim, 61% do Brasil não pode fazer nada. Tem locais que, para produzir, você não vai produzir, porque não pode ir numa linha reta para exportar ou para vender, tem que fazer uma curva enorme para desviar de um quilombola, uma terra indígena, uma área proteção ambiental. Estão acabando com o Brasil”, declarou o presidente.

Continuar Lendo

BRASIL

Caixa sofre tentativa de invasão hacker às vésperas de liberação do FGTS

Alvo dos invasores foi o sistema que contém dados de beneficiários de programas sociais, como o Bolsa Família

Publicado

em

Metro1 – A Caixa sofreu uma tentativa de invasão de hackers que obrigou o banco a tirar do ar o sistema que contém dados de beneficiários de programas sociais, como o Bolsa Família, e de trabalhadores. O caso ocorreu na última quarta-feira (14), segundo o jornal O Estado de S. Paulo.

De acordo com a publicação, o alvo dos invasores foi o banco de dados do Número de Identificação Social (NIS).

Esse número dá acesso a informações acerca do recolhimento e recebimento do FGTS, seguro-desemprego, abono salarial e aposentadoria.

Em nota, a Caixa disse que “identificou, na noite de 14 de agosto de 2019, tentativa de acesso indevido ao sistema corporativo que possui informações cadastrais de cidadãos” e que tomou as medidas necessárias para “impedir a concretização de possíveis fraudes e garantir a segurança dos dados dos cidadãos”.

Segundo o banco, o ataque não atingiu o sistema que armazena informações do FGTS.

Afirmou ainda que utiliza as “melhores práticas” e ferramentas especializadas em segurança cibernética e atua constantemente na prevenção de eventuais ocorrências de fraudes.

A tentativa de invasão ocorre às vésperas da liberação de R$ 42 bilhões do FGTS de contas ativas (dos contratos atuais) e inativas (de contratos anteriores), cujo calendário de saques terá início no dia 13 de setembro.

Continuar Lendo

BRASIL

Merkel, pegue essa grana e refloreste a Alemanha, diz Bolsonaro

Presidente se refere ao bloqueio de R$ 155 milhões do governo alemão para projetos de preservação ambiental no Brasil

Publicado

em

Metro1 – O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse ontem (14) que a chanceler alemã, Angela Merkel, deve usar o dinheiro bloqueado para preservação ambiental no Brasil para reflorestar a Alemanha.

“Eu queria até mandar um recado para a senhora querida Angela Merkel, que suspendeu US$ 80 milhões para a Amazônia. Pegue essa grana e refloreste a Alemanha, ok? Lá está precisando muito mais do que aqui”, afirmou ele.

No entanto, a quantia mencionada por ele é maior que a anunciada. O governo alemão disse que vai congelar cerca de €35 milhões, que equivale a R$ 155 milhões, menos da metade dos US$ 80 milhões citados por Bolsonaro, equivalente a R$ 319 milhões.

Continuar Lendo

AS MAIS LIDAS DA SEMANA